Saber virar as costas, ainda que doa

Dar segundas oportunidades (ou todas as que acharmos por bem dar), é e sempre será uma opção nossa, que deve ser bem calculada. Afinal, se depois de tantas oportunidades as atitudes são as mesmas e as pessoas continuam a desiludir-nos, para que nos damos ao trabalho de dar-lhes mais uma forma de se redimirem? 

Temos de ter em mente que nem todas as pessoas mudam, quando dizem que estão diferentes. Há uma percentagem significativa que apenas oculta a sua “versão conhecida” por uma melhorada, de forma a que consigam de nós o que pretendem. No final? Desiludimos-nos uma vez mais, ficamos magoados e custa-nos apenas virar as costas e ir embora. 

Por mais anos que a amizade possa ter, por mais bem que se conheçam – ou que julgam que conhecem –, há que saber ver quando não dá mais, quando já têm as provas que comprovam que aquele/a amigo/a não irá mudar. [Infelizmente, alguns pioram.] Quando chegarmos a essa conclusão, que sejamos capazes de dizer “chega”. Que sejamos capazes de virar as costas, ainda que doa.

Há quem só esteja connosco por interesse, para quando precisa de alguém para conversar ou para sair. Temos de saber priorizar e dar valor àquelas pessoas que estão connosco sempre e não continuar a insistir em quem só nos procura nas férias de verão ou nas festividades maiores.

Saber virar as costas custa, mas é libertador.

Na grande parte das vezes, essas amizades são tóxicas e nos deixam em baixo, a cada desilusão. Ao acontecer isto, certamente, não é uma boa relação, não é alguém que deva continuar na nossa vida. Devemos ser capazes de despedir-nos e fechar a porta, para que essa energia tóxica não entre mais.

Acreditem, não é por conhecerem a pessoa há muitos anos que poderão sempre desculpá-la e aturar as suas tretas, não é por terem um enorme carinho por essa mesma, que esta pode sentir-se na liberdade de magoar. Nada vos impede de cortarem relações, por mais segredos em conjunto que possam ter, por mais que uma saiba coisas da outra. Se alguma das partes contar os acontecimentos passados estará apenas a demonstrar o que verdadeiramente é, e notavelmente, não será um amigo bom ou verdadeiro. Será apenas aquele que à primeira oportunidade irá querer tramar-vos.

Fechem a porta, virem as costas e sigam. Há mais amizades por conhecer e mais memórias para se fazer. Não se esqueçam que os que são, genuinamente, amigos estão cá sempre e não só quando se lembram que existimos. 

Share Button
  1. “Devemos ser capazes de despedir-nos e fechar a porta, para que essa energia tóxica não entre mais” não poderia estar mais de acordo! Ao longo destes meus 27 anos de vida aprendi a virar as costas a tudo ao que é tóxico. Não aguentava mais e não vale a pena ter esperança por algo que já morreu.

    1. Precisamente. Muitas vezes insistimos com pessoas que nem valem o nosso esforço. O melhor é sempre fechar-lhes a porta. Se não nos acrescenta, então que não fique a encher a nossa vida de más energias. Beijinhos querida 🤗

  2. Sou completamente de acordo com o teu texto querida <3
    Beijinho *

    https://w-m-mind.blogs.sapo.pt/

    1. Muito obrigada 🤗 beijinhos

  3. Sou apologista de que as pessoas merecem sempre uma segunda oportunidade, mas se repetem o erro, então, temos que ser capazes de seguir sem elas. Porque isso só demonstra a falta de consideração que têm.
    Custa imenso virar as costas, mas custa ainda mais quando estamos a insistir em algo que já não tem futuro e que só nos deixa mal

    r: Prometo que vou ponderar bem a continuidade da história 🙂
    Muito, muito obrigada, minha querida. É mesmo gratificante receber esse retorno.
    Não tens que pedir desculpa, não há qualquer problema. Se, entretanto, te lembrares de alguma curiosidade que gostasses de ver respondida, podes comentar a publicação ou enviar-me um e-mail, que terei todo o gosto em responder

    Beijinho grande <3

    1. Precisamente. E muitas vezes, já não é a segunda oportunidade que lhes damos. São várias e várias e nada muda. Logo parar de insistir é a melhor solução nesses casos, em concreto.

      Obrigada querida. Se me lembrar, mando-te de certeza um e-mail com a questão. Beijinho 🤗

  4. adorei o texto e, sinceramente, não podia estar mais de acordo. Tive de saber fechar a porta a uma amizade de anos e de melhores amigas, custou mas passou! Hoje olho para esses momentos como recordações do passado e uma nova lição de vida. Um beijinho
    https://amaria-do-mar.blogspot.com/

    1. Todos os melhores amigos que tive, não eram amigos verdadeiros e por isso, mesmo tendo anos de amizade, tive de fechar-lhes a porta e virar costas. Só me trouxe coisas boas, dessa forma. Ainda que custe muito no início, depois começa a fazer-nos muito mais sentido. Beijinho

  5. Faz muito sentido! Adorei o texto e, sem dúvida, estou numa fase de fechar algumas portas. Apenas cheguei a esta conclusão após ter sido desiludida consequentemente, o que é bastante triste, mas antes tarde do que nunca. 😉
    Beijinho e continua o teu ótimo trabalho!

    1. É mesmo. Também sempre fiquei desiludida com algumas pessoas e o melhor foi fechar-lhes a porta. Beijinho e obrigada 🤗

  6. Sem dúvida alguma minha linda. E o mesmo aconteceu contigo :’)

    Às vezes é mesmo preciso fazer isto para fechar um capítulo. Já me aconteceu e sei o quão duro pode ser!

    NEW REVIEW POST | FINALLY: I’VE TESTED THE BUBBLE MASK – SEPHORA.
    InstagramFacebook Official PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me 😀

    1. Awwn muito obrigada 🤗 Há sempre novos capítulos a desvendar, por isso, ainda que doa, há que seguir em frente. Beijinho

  7. Também pensei nisso, para ser sincero. ahahah Imagina só que fazia mais bolhas?! ahahah havia de ser bonito 😛
    De qualquer das formas, em relação às máscaras em si: são ótimas!!! de verdade 😀

    NEW BRANGING POST | KIEHL’S: I WAS AT THE OPENING EVENT.
    InstagramFacebook Official PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me 😀

    1. Seria muito divertido 😂😂. Acredito que sejam. Beijinho 😘

  8. “Por mais anos que a amizade possa ter, por mais bem que se conheçam – ou que julgam que conhecem –, há que saber ver quando não dá mais, quando já têm as provas que comprovam que aquele/a amigo/a não irá mudar. [Infelizmente, alguns pioram.] Quando chegarmos a essa conclusão, que sejamos capazes de dizer “chega”. Que sejamos capazes de virar as costas, ainda que doa.” ISTO!!! O tempo não diminui aquilo que a relação é: abusiva. E engana-se quem pensa que isto só acontece entre amigos, namorados etc, por vezes até temos família assim, infelizmente!

    Gostei muito do texto! 🙂

    Beijinhos, Brenda
    https://momentosdeataraxia.blogspot.pt

    1. Disseste tudo agora. Muitas vezes, os familiares são os piores. Não podem ver nada que já lançam más energias. Beijinho querida 😘

Deixe uma resposta