Desafio 1+3: Medo

Desde crianças que somos confrontados com o medo. Medo de cair, de alturas, de perder-nos dos nossos pais em alguma loja e dos monstros no armário ou debaixo da cama. À medida que vamos crescendo conseguimos ultrapassar vários deles. Uns melhor, outros pior. Há quem nunca consiga ultrapassar o medo de alturas (este, definitivamente, não consegui), como também há quem tenha um medo terrível de morrer. Honestamente, depois de tudo o que me submeti, este último tornou-se apenas um “vai acontecer de certeza, aproveitarei até lá”.

Atualmente, podia dizer-vos que não tenho medo de nada, mas estaria a mentir-vos e a mentir-me. Se há medo que tenho é de não conseguir realizar tudo aquilo que anseio. Todos nós temos sonhos, desejos maiores e esperamos concretizá-los. Todos eles exigem algo de nós. Uns mais empenho, outros tempo, outros inspiração, outros um curso ou até um financiamento. Todos eles vão exigir coisas que podemos não ter ainda margem de manobra.

Contudo, embora esse medo exista e persista, devemos ser capazes de acreditar que lá chegaremos e que iremos fazer de tudo até o concretizarmos. Não devemos desistir porque dá medo, ou não seguir avante com algo porque alguma coisa diz-nos que não vai dar certo (isso é o medo de falhar a falar mais alto na cabeça). Devemos, pelo menos, tentar. Se há coisa que aprendi rapidamente é que mesmo que não sejamos vitoriosos em alguma coisa, pelo menos, que saibamos que tentamos, que lutamos até ao fim, até não haver mais nada para segurar-nos. Não é de todo uma derrota. Derrota seria se nem tivessem tentado.

Por isso, mesmo com receio, as pessoas seguem em frente. E se der medo, vá na mesma. Com força, com garra. E irá dar tudo certo porque acreditar já é meio caminho andado até ao sucesso (de qualquer coisa na vida).

E vocês, que medo têm?

Este post insere-se no desafio 1+3 criado pela Carolina.

Share Button
  1. Os medos fazem parte da nossa jornada. E, apesar de nos transmitirem uma sensação condicionante, é bom que existam, porque nos mantêm alerta e porque são o sinal claro de que estamos a sair da nossa zona de conforto.
    O importante é, mesmo com medo de algo, não pararmos. Porque só assim conseguiremos superar!

    1. Não podia dizer melhor. E sair da nossa zona de conforto dá sempre medo, mas no fim é muito compensador. Beijinho 😘

  2. r: Garanto que, apesar de ser má pessoa, não era essa a minha intenção ahahahah
    Com a carta, percebe-se que a sintonia permanece, porque a linha de pensamento e de sentimentos corresponde de igual forma.
    Também não consigo imaginar, mas acredito que seja mesmo desolador.

    Obrigada, minha querida <3
    Beijinho grande*

    1. Percebi claramente isso. Beijinho

  3. Oh, tenho medo de tanta coisa. Mas um dos meus maiores medo é também “não conseguir realizar tudo aquilo que anseio”. São tantos sonhos, tantas ambições e só uma vida. Mas nada que não se tente alcançar todos os dias. Com medo mesmo!

    Gostei muito desta tua participação no desafio 🙂

    Beijinhos

    1. Para lá chegarmos temos de dar o litro por isso, portanto mãos à obra e conseguirás. Claro que só temos uma vida, mas conseguimos ainda assim fazer imensa coisa se soubermos aproveitá-la ao máximo e saber gerir bem as coisas. Beijinhos e muito obrigada 😍

  4. Eu sou muito medrosa de uma maneira geral, aliás, neste momento por estar numa fase boa da minha vida, estou constantemente com medo à espera da tempestade. Gostei imenso das tuas palavras coração <3

    1. Tens de aprender a viver mais o momento. Assim esses medos ficam de parte, por algum tempo. Mas acho que é perfeitamente normal. 😂 beijinhos

  5. r: Espero que consigas fazer essa viagem que tanto queres. O Porto é uma cidade lindíssima! E espero também que gostes da sensação de liberdade.
    Quanto a mim, também gostava muito de visitar a solo os Açores 🙂

    Muito obrigada pelas palavras, Sofia! Espero muito que sim, que ela tenha orgulho em mim, como eu tive dela, toda a minha vida!

    Beijinhos

    1. Só pelas fotos vejo que sim. Falam imenso de Lisboa, mas acho que sempre irei preferir o Porto pelas paisagens.

      Claro que sim. Beijinho

  6. Eu tenho medo de no fim de tudo olhar para trás e perceber que desperdicei a minha vida, ou por outras palavras, que não a aproveitei como devia ter feito.

    Beijinhos,
    Yellow Rain

    1. Acho que todos acabamos por sentir o mesmo, mas se aproveitarmos sempre tudo, vivermos ao máximo os momentos e fizermos quase tudo o que gostamos, acho que esse medo diminuiu um pouco. (Acho eu) beijinho 😘

  7. r: Muito, muito obrigada, minha querida! Significa muito ler isso <3

    Pois não, a maioria nem deve saber o que são berlindes. A tecnologia tem imensas vantagens, mas também acaba por distanciá-las destas realidades e destes jogos

    Beijinho grande*

    1. Infelizmente. E cada vez mais, é mais difícil fazer com que essas crianças brinquem com brinquedos sem que envolva tecnologia. 😐

Deixe uma resposta