A depressão e a crítica social

De certeza que já leram depoimentos de pessoas que já passaram pela doença mais comum do século e julgaram ou viram quem julgou. Porque acham que todos julgam aquilo que não entendem? Deverá a depressão ser vista desta forma? Da forma em que todos se fazem de vítimas e só querem atenção? Já tentaram questionar-se se aquela pessoa está simplesmente a desabafar? Ou se está apenas a despedir-se do mundo físico para finalmente estar em paz após o suicídio? Já vos passou pela cabeça tudo isso?

É sempre mais fácil criticar quando nunca sofremos de algo parecido.

É tão fácil comentar “vá deixa de fazer-te de vítima!” quando não conhecemos a história da pessoa, nem tampouco o que ela está a viver, naquele momento. Contudo, quando somos nós a passar pelo mesmo, aí o caso muda de figura, não é? Sentem-se julgados e incompreendidos, pois ninguém partilha mais os seus depoimentos. Porque acham que isto acontece? Pensem. Pensem no que um dia comentaram sobre isso. E não, não foi o karma que vingou-se de ti, mas sim a vida: essa que está a fazer-te ver que nem tudo é o que parece.

Em vez de comentares “que chato, só partilhas frases de depressão e suicídio“, que tal enviares uma mensagem à pessoa ou até mesmo comentares “estou aqui se precisares“. O que te custa? Custará a mesma coisa do que comentar algo que irá magoar profundamente quem está do lado de lá.

É por todos os julgamentos que as pessoas sofrem caladas, morrendo aos poucos por dentro. É tão fácil comentar algo que não nos atinge, não nos aquece nem arrefece. É difícil sabem? Eu também cheguei a dizer que uma colega de turma só se fazia de vítima para ter atenção, enquanto que ela mutilava-se e matava-se a cada dia mais um pouco. Quando eu comecei a sofrer do mesmo, o caso mudou drasticamente de figura. Afinal, agora sabia o que ela sofria constantemente todos os dias.

A pressão social é tão grande e este tema é encarado tão negativamente que todos os dias vemos casos de suicídio e ficamos abismados. “O que a levou a fazer isto?!” Pois é, meus caros, porque acham? Às vezes, o que partilham nas redes sociais é um grito silencioso, mas que pouco é interpretado da forma que deveria.

Essa pressão social faz com que a pessoa pense que a única errada é ela. Ela é a culpada por estar assim; que não merece viver; que nunca será boa em nada. Já se questionaram isso? Se não, deveriam!

Há que julgar menos! Colocar-se mais no lugar das outras pessoas, pois elas precisam muito da nossa ajuda. Mais do que nós pensamos. E apesar de algumas disserem que não querem, querem sim! E digo por experiência própria, pois fazia o mesmo. Não se fiquem por “está tudo bem“. Jamais. Contudo, quando não damos a mínima para outras pessoas aquela típica frase é o suficiente para esquecermos esse assunto e seguir com a nossa vidinha, enquanto a outra está quase implorando para que a notem e a ajudem.

Nem todas as pessoas têm a coragem de pedir ajuda.

Por diversos motivos: uns mais delicados de que outros, como por exemplo, a reação da família. Há quem tenha uma família que ajuda em tudo e apoia, há quem não tenha. Têm o contrário: julgamentos e desunião. Não podemos supor que as outras pessoas estão bem só porque usam roupa de marca ou porque sorriem e supomos que têm uma família incrível pelo pouco que conhecemos da mesma. Não devemos supor algo que não sabemos se de facto, é verdade. 

Há que insistir com quem achamos que necessita de ajuda, mas pensa que não precisa, pois há a negação à doença também. Devemos tentar ao máximo, pois noutra altura, podemos ser nós a passar pelo mesmo e a necessitar que nos ajudem e apoiem.

Lembrem-se: hoje os outros, amanhã tu. Não devemos julgar quando nós próprios nunca passamos pelo mesmo.

Share Button
  1. Alexandre says: Responder

    Muito bom! Obrigado por isto 😘😘😘

    1. Não tens de quê babe! Beijinhos 💙

  2. Eu sofro de uma depressão crónica, ou seja sei que por mais que esteja bem tenho uma tendência enorme para desabar com os problemas da vida. E tudo o que peço a qualquer pessoa é respeito. Infelizmente as pessoas tem uma dificuldade enorme em respeitar os problemas alheios principalmente quando não os conseguem ver, se fosse uma perna partida toda a gente tentava ajudar. O que tenho mesmo a dizer é que infelizmente a depressão é uma realidade da vida, e se não houvesse tanto o estigma de “é uma louca” ou “só chora” secalhar eu não me sentia tão mal com o meu problema.
    Força linda e um beijo enorme.

    1. Acho que não o deves encarar com um problema. Nem mesmo as pessoas. E sim, se fosse algo físico as pessoas iriam tentar ajudar, mas como é algo mental nem se questionam se o outro está bem ou mal. Acima de tudo, acredito que irás melhorar. E se precisares cá estarei querida. Acho que tens de rodear-te de pessoas que te queiram bem e deixar esses julgamentos de lado – por mais difícil que sejam de se assimilar e ouvir. Beijinhos e força! 💙

  3. “Hoje os outros, amanhã tu” foi muito poderoso e verdade. Gostei imenso deste texto espero que abra os olhos a quem julga sem pensar duas vezes. beijinhos!

    1. Espero que abra mesmo querida! Chega de maltratar ou julgar os outros! 💙 Beijinhos

  4. Sinto que, infelizmente, ainda há muitas pessoas a desvalorizar a depressão. Como não é algo físico, julgam que não magoa, que não corrói, que não causa danos, muitas vezes, irreversíveis. Mas a verdade é que, por ser uma doença tão silenciosa, impede que se arranjem tratamentos de forma célere. É preciso respeitar. Colocar-se no lugar do outro e procurar compreender em vez de apontar o dedo.
    Nem sempre é fácil assumir que se precisa de ajuda e, efetivamente, pedi-la. E isso ainda se torna pior quando se percebe que do outro lado está alguém que nem sequer procura perceber os contornos do problema. Está na hora de mudar este tipo de postura. De limpar os pensamentos. E de não fecharmos os olhos só porque nunca passamos por algo semelhante. Temos que estar mais disponíveis para os outros, porque uma palavra pode fazer a diferença – para o bem e para o mal

    Beijinhos <3

    1. Não poderia concordar mais Andreia. É exatamente isso. Se nos colocássemos mais na pele do outro, poderíamos mudar a nossa forma de pensar e postura perante situações deste calibre. Há ainda muito por mudar na sociedade atual, mas iremos chegar lá! Beijinhos 😘

  5. Belinha Barbosa says: Responder

    Só li verdades Carolina. Como sempre você arrasando! 😍 Já te disse e repito: se quiser conversar sempre estarei aqui! ❤

    1. Obrigada minha querida! 💙 Sei bem. E digo-te o mesmo. Beijinhos 😘😘

  6. Cassy Frost says: Responder

    Vivemos numa sociedade em que é “difícil” calçar os sapatos do outro. Julgamos sem base para tal, criamos opiniões tendo em conta o “diz que disse”. É mais fácil unir-se à maioria do que dizer “sim senhor, aquela pessoa age assim porque tem algum motivo.” Não, colocam tudo no mesmo saco: só porque algumas pessoas o fazem para chamar à atenção (infelizmente há casos assim), não quer dizer que todos o façam. Há pessoas que realmente precisam que alguém disponha dos seus dois ouvidos para a ouvir.

    Mas seguem a lei do mais fácil porque é assim que se diz “ser normal”.

    1. Infelizmente sim, há pessoas que fazem-se de coitadas, mas há outras que não. Mas geralmente as que se fazem, não têm a doença, e isso sei bem, pois tenho vindo a aperceber-me que uma certa pessoa está a fazer-se de doente. Enfim. Acho que a sociedade deveria julgar menos e ajudar mais. Mas infelizmente não é isso que acontece. Beijinhos 💙

  7. Que palavras lindas ! Gostei muito de as ler. São muito sinceras e verdadeiras! Parabéns pelo artigo e pelo alerta que nesta mensagem transmistes.
    Beijinhos, Ana Rita .

    1. Muito obrigada minha querida! Beijinhos 💙

  8. Estefânia says: Responder

    O caminho mais fácil será sempre ignorar e dizer que apenas se querem fazer de vítimas ou chamar a atenção…sinais da sociedade doente em que vivemos…

    1. Exato. A sociedade vê a depressão e as pessoas que sofrem da doença apenas como “coitadinhos” que se fazem de “doentes”. Infelizmente é mesmo a sociedade que temos. Beijinhos 💙

  9. C. says: Responder

    De facto acho que o mais difícil é pedir ajuda… eu quando passei pelos baby blues, o que me custou foi pedir ajuda. Mas precisava e muito!

    Beijinhos,
    O meu reino da noite ~ facebook ~ bloglovin’

    1. Acredito que o baby blues também seja algo tão dramático quanto depressão, pois o passo para a mesma é mesmo curto. ainda bem que conseguiste pedir ajuda querida. Beijinhos 💙

  10. r: Oh, obrigada *.* fico muito sensibilizada por ler isso!
    Concordo transmitem mesmo. Também queria investir em mais livros de poesia este ano

    Beijinhos <3

    1. Não tens de que minha querida! 💙 Também quero! 😝 Beijinhos

  11. Melissa Sousa says: Responder

    A depressão é um tema muito delicado e infelizmente não é bem visto pela sociedade, muita gente pensa que as pessoas é que fazem a depressão, mas não, ela vem sem nos apercebermos.

    Beijinhos,
    Melissa Sousa | Fábrica de Temperos
    JÁ CONHECEM? #1 (A RECLUSA)

    1. Infelizmente é uma doença que tem uma imagem muito errada na sociedade, mas que temos de lutar para que isso mude. É algo que é inevitável mesmo. Beijinhos querida 💙

  12. Helena Raquel says: Responder

    É uma doença que pouco se “nota”, e infelizmente muitas vezes não conseguimos perceber os sinais.
    Lamento que cada vez mais as pessoas sofrem em silêncio e que muitas vezes achem que o melhor é deixarem este mundo. Cada vez mais e como dizes morrem pessoas…e motivos? Ninguém viu ou não quis ver. É triste 🙁

    1. Nota-se um pouco. Acho que a exclusão social e o facto de não quererem sair de casa é já, por si só, um alerta. Infelizmente, muitas pessoas partilham nas redes sociais “gritos silenciosos” e poucos querem saber se estão bem ou não. Apenas limitam-se a ver e a ignorar pois lá está “estão a fazer-se de coitadinhas”, quando não é isso. Só em São Miguel, entre abril e maio já duas mulheres deram fim à sua vida e não é algo fácil de dirigir. Ainda no outro dia comentava com um amigo meu, o facto de terem coragem para tal. A verdade é que as pessoas cansam-se da vida que têm e de terem de levar com as críticas da sociedade – que são muito erradas, em relação à doença – e acabam mesmo por achar que o melhor é deixar de viver, algo super triste, pois tinham imenso ainda por dar ao mundo. É um assunto tabu de facto, mas que merece ser falado. Beijinhos 💙

      1. Helena Raquel Baptista says: Responder

        lamento as duas vidas que se perderam 🙁
        a questão da partilha nas redes sociais é que toda a gente partilha coisas menos felizes, por um momento mais infeliz, e muitas vezes não conseguimos perceber quem realmente está a precisar de um ombro amigo. Penso que seja isso que aconteça

        1. Pois é. E também há aquelas pessoas que só colocam frases incríveis on-line e que depois suicidam-se e ficamos abismadas devido a não termos dado por nada. Na maioria das vezes, as pessoas sofrem e morrem sozinhas – o que é muito triste. Beijinhos querida. 💙

  13. Tenho depressão e já me disseram que estou a dramatizar, que quero atenção, que sou preguiçosa e que não tenho de estar triste (porque depressão é só tristeza, pois claro). Fala-se tanto deste problema e como é importante estarmos atentos mas, ao mesmo tempo, os comentários são cruéis, apáticos e sem qualquer sentido de noção. É muito complicado lidar com esta dicotomia.
    Neste momento não consigo estudar nem trabalhar e não sou capaz de sair de casa. É um sentimento de impotência horrível, o que torna ainda mais inadmissível que muitos pensem que quem tem depressão está como está porque quer.

    1. As pessoas sempre se acham no direito de julgar os outros, quando não são elas a passar por isso. Muitas vezes questiono-me se as pessoas sabem o que de facto é depressão. Comentários infelizes como “não deves estar triste” é um bom exemplo de como ninguém sabe o que é, até passar pelo mesmo. É estúpido o facto de só compreenderem as pessoas quando passam pelo mesmo. A depressão não é algo que pedimos para ter, é algo que acontece e pronto. Querida, tenta sair de casa. Pode custar-te imenso no princípio, mas deves ir aos sítios que antes adoravas e tentar passar um bom tempinho com quem mais gostas. Irás ver que fará toda a diferença. Beijinhos e muita força! 💙

  14. O mal é esse, as pessoas pensarem o que não devem. Muitos dizem que, ter depressão é para ricos, até eu ter começado a ter uma. A opinião mudou.

    1. Pois é. Quando passamos pelo mesmo aí começamos a entender o que as outras pessoas sentem, mas não deveria ser necessário o “passar pelo mesmo” para perceber as dores e dificuldades dos outros. Infelizmente, só entendem mesmo depois de passar pela mesma situação. Beijinhos 💙

  15. Infelizmente só quem passa sabe o quanto custa e o quanto precisa de apoio (mesmo sem o solicitar)… Gostei muito do post!

    Beijinhos, Brenda
    https://momentosdeataraxia.blogspot.pt/

    1. Exatamente. Só quem passa, sabe. Beijinhos 😘

Deixe uma resposta