A aceitação é sempre o pior passo

Nem sempre tive uma relação de ódio com o meu corpo. Tudo começou quando fiz 9 anos e com a cortisona que tomava devido à asma comecei a engordar, disparatamente. Foi um pico de crescimento de gordura e de altura que assustava imenso os médicos. Cheguei nesse ano aos 80kg. A minha asma piorou, consequentemente e comecei a queixar-me ainda mais para respirar. Ao estar sempre com falta de ar exigia que estivesse sempre a tomar a bomba e novamente, mais excesso de peso. E foi aí, que o ódio foi plantado dentro de mim. Ele foi florescendo e florescendo até eu fazer 15 anos.

Aos 11 anos entrei numa banda filarmónica e no espaço de 1 ano, perdi imenso peso, ficando a rondar os 60kg. Comia normalmente (muito mais do que agora), só que andava imenso e tinha a minha respiração sempre controlada visto que tocava e andava ao mesmo tempo e deixei de precisar da medicação.

Se vos disser que amo-me mais agora do que quando era mais magra, acreditam?

Ao pesar os tão sonhados 60kg estava radiante por poder usar as jeans de número 40 e por alguém olhar-me ou até assobiar pela rua. Tão ingénua. A cada minuto odiava-me mais. O facto de ser desejada pelo corpo e não pelo que era, arruinava-me. Vestir as jeans preferidas já não eram uma vitória. E quando perdi ainda mais peso, devido à depressão e vi os ossos do rosto a aparecer, fiquei apavorada.

Eu não estava bem. 

Tomei consciência e decidi voltar à psicóloga. Falei com a minha médica que aconselhou-me a comer sem tanta restrição — ainda que eu não estivesse de dieta ou algo do género — e como fui “curando” a depressão aos poucos, cada ganho de peso era uma vitória, pela primeira vez na minha vida.

Cheguei aos 78kg e senti-me saudável, apesar de não aceitar o que via no espelho. 

Se passar dos 80kg para os 60kg tinha sido uma vitória, passar dos 50kg para os 78kg tinha sido uma derrota tremenda. Olhava-me no espelho e detestava o meu reflexo. Nisto, a parte de sofrer desgostos amorosos, só piorou. Sentia-me bem, no ponto em que não via os ossos literalmente e que estava com mais anca e algumas curvas, porém a auto-estima estava abaixo de zero. As estrias tiravam-me do sério. A gordura que apareceu na barriga detestava e foi assim que, de pouquinho em pouquinho, o ódio foi crescendo e deixei sequer de ver-me no espelho.

Conheci o Tiago, em 2015 e visto que trabalha num dos maiores ramos de fast-food, comer porcarias era quase obrigatório. Comia demais, deixei a banda e o exercício físico. E o inevitável começou a aparecer.

O peso não parou de aumentar. 

Todas as semanas roupa comprada na semana anterior, era arrumada visto que já não servia. Era desesperante. Não sentia-me bem com nada, nem com o que vestia, nem com o que via. Muitas vezes dizia ao Tiago como ele era capaz de gostar de mim visto que era tão gorda. Claramente, do pouco que conhecem dele já devem ter uma suspeita de que ficou zangado. Ficou mais magoado do que chateado. A verdade é que nisso de não termos autoestima e estarmos com alguém, não é só um problema só teu mas sim dos dois.

Até que algo ruim aconteceu e eu engordei de novo. Só que essa experiência — que correu mal — fez-me abrir os olhos e ver que era tudo um drama feito por mim. As estrias roxas apareceram, as pernas ficaram enormes, os seios e o rabo, por acrescento também. E eu aceitei. Pela primeira vez aceitei o que nunca tinha aceitado. Concentrei-me na saúde e não no aspecto físico. Comecei a tratar da minha pele com muitos cremes (e até já fiz stock do Barral pois é mesmo milagroso — clareia as vossas estrias, por mais escuras que sejam, em menos de 3 semanas, se o aplicarem religiosamente todos os dias), tentei mudar a minha alimentação e optar por beber mais água e tudo foi fluindo.

O que aconteceu fez-me aceitar quem eu era. E não culpo o que aconteceu pelo facto de ter engordado. Teve de acontecer. O destino quis. Agora, o que posso tirar dessa experiência é outra coisa completamente diferente e depois de refletir, vi que eu gostava do que via. Eu sinto-me bem, tenho autoestima SIM, consigo olhar-me no espelho sem ressentimentos e sem julgamentos, e aceitei-me muito melhor tanto físicamente como interiormente.

A aceitação própria é sempre o pior passo a dar, mas vão conseguir! Pode até demorar um pouco mais, porém tenho a certeza que conseguirão chegar ao momento em que vão dizer “Fod$-$$ o que pensam! Eu sou linda, gosto do que vejo e amo-me!“. Agora até pensam que isso ainda está longe de acontecer mas pode estar ao virar da esquina.

Lembra-te que para gostares de ti a culpa não é inteiramente do teu corpo. A culpa também é do teu interior, da tua alimentação, dos teus hábitos, ao te comparares aos outros (deixa de fazer isso !), da forma como queres ser como eles (aprende que eles são eles e tu és tu!), de tentares sempre seguir um exemplo e de como estás a nível mental. Se não vês o que queres porque não colocas a mão na massa? Ficar sentada à espera de um milagre não mudará nada. Tens de agir! Ser forte! E com calma, tudo vai dar certo.

Apenas confia em ti. 

Share Button
  1. Talita Paschoal says: Responder

    O que eu posso dizer depois de ler um texto f$da desses?! O texto fala por si só. 👏👏
    Admiro tua coragem de teres compartilhado um pouco da tua trajetória conosco, fico imensamente grata pela confiança. Tu és uma mulher maravilhosa, mana, superaste tantas coisas e ainda terás força para superar muitas mais!
    Amo-te! ❤✊

    1. Awwn muito obrigada mana! ❤️ Acho que devemos ter coragem de falar sobre aquilo que passamos. Muito obrigada ❤️ Beijinhos 😘

  2. Sinto que o ponto de viragem foi precisamente aqui: «Concentrei-me na saúde e não no aspecto físico». Porque é quando nos concentramos no mais importante que começamos a aceitar o que vemos.
    A auto-estima devia ser uma característica inata, mas a verdade é que nem sempre é uma questão automática. Pelo contrário, é um processo que, em muitas pessoas, demora. Porque as oscilações constantes acabam por desmotivar. No entanto, quando finalmente encontramos o nosso ponto de equilíbrio, deixamos de olhar para o espelho como um inimigo, deixamos de olhar para nós como se fossemos horríveis e aprendemos, inclusivamente, a gostar. E aos poucos a confiança começa a aparecer.
    O importante é nunca desistirmos de lutar por nós. E confiarmos que seremos capazes

    r: Recomendo, a história é incrível 🙂
    Sim, nem sempre é fácil expressar cara a cara os nossos sentimentos. Mas acredito que, na incapacidade de os dizermos por palavras, há sempre gestos que o demonstram
    Eu é que agradeço esse feedback de encher o coração!

    Já tenho saudades de ir à Pizza Hut 😮
    Ah! Compreendo

    Beijinho grande*

    1. A autoestima é quase como uma inimiga na maioria das vezes. Acho que devemos concentrar-nos mais na nossa saúde do que com a beleza e o corpo. Pelo menos é o que eu acho.

      Tenho mesmo de ler o livro! Pizza Hut é Pizza Hut! Ahaha adoro! Beijinhos ❤️

  3. Que post pertinente! Nunca tive problemas com o meu corpo, mas passei muitos anos a detestar o meu nariz. Para mim, a solução passou por mudar o que não gostava, mas não podemos mudar tudo, verdade? A aceitação é mesmo fundamental, e percebermos que não somos “defeituosas” por não correspondermos a todos os padrões de beleza é um passo fulcral. Beijinhos 🙂

    1. Temos de entender que temos de gostar daquilo que somos e temos. Só deveremos mudar caso seja algo que te prejudique a saúde. Caso não respirasses bem ou assim. É um passo enorme é verdade mas vais conseguir lá chegar. Beijinhos ❤️

  4. A tua história é bem interessante, gostei do post 🙂
    Beijinhos

    1. Muito obrigada. Beijinhos ❤️

  5. Tão inspiradora a tua história e acima de tudo, achei incrível a tua força e coragem.
    Parabéns e obrigada pela partilha 🙂
    Beijinhos!

    1. Muito obrigada querida! ❤️ Beijinhos 😘😘

  6. Sei o que é passar por cima de algo que parece impossível! Revejo-me de certo modo no teu texto e fico muito feliz que tenhas conseguido dar a volta por cima, agora é sempre a melhorar! Se precisares de ajuda a nível de ideias alimentares, podes contar comigo! 🙂

    Um grande beijinho*

    1. Nem sempre é fácil mas consegui e já tantos conseguiram também. Muito obrigada ❤️ Beijinhos 😘

  7. Muito obrigada por teres escrito um texto tão sincero, e teres partilhado a tua história, que é inspiradora e será motivacional para muita gente, certamente! Admiro a tua coragem por contares isto tudo, de forma crua, sem floreados nem meias palavras. Não existem muitas bloggers assim, capaz de tamanha honestidade.
    A luta pela aceitação do nosso corpo é, para a maior parte das pessoas, bastante difícil, mas ainda foi mais para ti, que passaste por tantas oscilações de peso. Mas, no fim, percebeste aquilo que é realmente importante, que a nossa confiança não depende do nosso aspeto físico, mas sim da nossa saúde e do estilo de vida.
    Beijinhos,
    Cherry
    http://www.lifeofcherry.pt/

    1. Muito obrigada eu minha querida. Acho que deveriam haver mais bloggers assim. Que sejam capazes de dizer o que sentem, sem rodeios. Infelizmente, a auto-estima e a aceitação são obstáculos pelos quais todos nós vamos passar ou já enfrentamos. Não há nada que os possa evitar de acontecer. Felizmente, apercebi-me disso cedo. Ainda levou uns 15 anos para ver isso, mas já entrou de uma vez por todas. Espero que as pessoas ao ler isto, se sintam abraçadas e que pensem que todos nós passamos por isso e que se eu consegui elas vão conseguir também. Cada um com a sua luta e com a sua vontade. Afinal, tudo depende da nossa vontade e não seguirmos-nos pelos outros porque os outros fizeram de tal forma ou ditaram de tal forma. Tem de ser algo espontâneo e vindo do fundo do coração de cada pessoa e de cada ser. Obrigada mais uma vez querida. ❤️ Beijinhos 😘😘

  8. Que história! É tão bom quando nos amamos!

    1. Muito obrigada querida ❤️ Beijinhos

  9. r: Tem um efeito tranquilizante, que nos renova a alma! Espero que o consigas voltar a fazer ❤

    1. É mesmo querida. Espero mesmo em breve conseguir fazer de novo. Obrigada ❤️ Beijinhos 😘

  10. Felizmente nunca passei por algo semelhante, mas se alguem podia passar por isto e conseguir ultrapassar és tu. és uma força da natureza. e com tanta força e coragem para colocar tudo isto aqui, e tão bem.

    beijinhos e um otimo fim de semana
    http://www.dailyfoxblog.com
    MUAHH**

    1. Awwn muito obrigada minha querida. Nem sabes o quão feliz fiquei ao ler isto. Acho que temos mais é de expor que apesar de um enorme percurso contra a aceitação há “finais felizes”. Custa imenso sim, mas depois é muito gratificante. Um ótimo fim de semana para ti também. Beijinhos ❤️

  11. Cassy Frost says: Responder

    Admito que também tenho”problemas” com o meu corpo mas é mais por medo do que pela imagem que ele transparece. Com a imagem coloquei o modo “dane-se” há uns bons anos. A vida torna-se melhor quando te ouves em vez de ouvires todas as coisas maldosas que os outros dizem. Metabolismo acelerado, este organismo devia ser multado por excesso de velocidade 😂

    Adorei o post😍. Muitos parabéns por tudo aquilo que és.

    1. O meu metabolismo é quase preciso pagar para ele se mexer e trabalhar. É demasiado preguiçoso. Eu acho que devemos deixar quem fala/julga no poço “nobody cares” porque na verdade ninguém quer mesmo saber o que eles acham ou deixam de achar. Nós somos nós e eles são eles. Cada corpo é um corpo. Cada pessoa é diferente da outra. Não somos iguais. Se fossemos seria uma enorme confusão. Temos de saber aceitar-nos e acima de tudo, aceitar os outros também. Muito obrigada querida ❤️ Beijinhos

      1. Cassy Frost says: Responder

        Vamos combinar um encontro para os nossos metabolismos?😂

        Ora essa, eu que agradeço.

        1. É mesmo! 😂😂😂 era ótimo!

          Beijinhos ❤️

  12. Sandra says: Responder

    Olá, Carolina. Desculpa o off-topic, mas queria fazer-te uma pergunta. É o seguinte, eu costumava ler as tuas histórias no Wattpad (no tempo em que tinha conta) e lembro-me que gostava bastante delas e de estar bastante entusiasmada com a 71 Days of Pain, apesar de nunca a ter terminado de ler porque entretanto acabei por fechar a conta. Mas voltando ao assunto, lembro-me que quando começaste o blog, mencionaste que pagaste a um profissional para o desenhar e fizeste um certo investimento. Eu tenho um grande entusiasmo por música e já pensei várias vezes em criar um blog sobre isso, mas nunca me cheguei à frente. A minha dúvida é se atualmente, tendo já este blog cerca de um ano, te arrependes da decisão tomada de investir e começar logo com uma coisa profissional ou se preferias ter começado mais “modestamente” com um blog grátis? Já vi que tens também alguns anúncios no blog, por isso presumo que ganhes algum dinheiro com ele. Já conseguiste recuperar o investimento? Tens algum tipo de lucro? Estou apenas a perguntar porque tenho 21 anos, não trabalho nem estudo, e embora esteja à procura de um emprego, está um bocado complicado encontrar algo, de maneira que pensei em começar um blog e tentar ir ganhando algum enquanto não arranjo nenhum trabalho. Claro que não estou à espera de enriquecer, só gostava de saber se é possível ter dinheiro para pagar as despesas através de um blog. Já agora, se tivesses algum conselho para me dar, agradecia.
    Desde já obrigada e desculpa se fiz perguntas demasiado “intrusivas”.

    Cumprimentos,
    Sandra

    1. Olá Sandra! Fico contente por conheceres-me do Wattpad. ☺️ Algumas das perguntas que questionas respondi neste artigo (https://www.carolinafranco.pt/2018/a-minha-experiencia-com-a-lusitec/) e lá encontrarás a maioria das respostas às tuas perguntas. Quanto a arrependimentos? Nenhum. Como sabes, eu comecei logo com algo pago porque se queres ter visibilidade e até alcançar mais pessoas sabes que os blogs no WordPress.org são os mais indicados. A Lusitec tem planos de 15€ (o mais barato) e ainda tens ao dispor o meu código promocional de 10% de desconto no alojamento. Quanto a domínio pagas 16€ por ano (caso seja .pt) e 13€ por ano (caso seja .com). Já investi cerca de 300€ e ainda não obtive nem 1/4 do dinheiro. Mas tudo leva tempo. O blog dará dinheiro a longo prazo. Isto é um projeto que se entras a pensar no dinheiro entras mal. Tens de entrar principalmente porque gostas do que escreves e do que fazes. É sempre isto que refiro. Faz porque gostas e não pelo dinheiro. O dinheiro é um bónus e no primeiro ano de blog dificilmente conseguirás ter algum. Há várias maneiras de ganhares dinheiro: há o Adsense, afiliados (a Lusitec tem também e paga bem), parcerias com empresas/marcas e se escreveres posts pagos para outros blogs/sites. Em todo o caso, se necessitares de esclarecer qualquer dúvida adicional, podes sempre mandar e-mail para contato@carolinafranco.pt e por lá poderei ajudar-te ainda mais. Lembra-te que para começares o blog podes simplesmente comprar o domínio + alojamento e usar um template grátis (eu por exemplo, paguei mais pelo template pois quis um pago e personalizado). Conselhos? Entrar em grupos de bloggers, pesquisar, divulgar e acima de tudo: investir. Esses são os meus conselhos. Beijinhos querida! ❤️

  13. r: A prova de que as músicas não nos tocam todas da mesma forma 🙂

    Beijinho grande*

    1. Pois é querida. Beijinhos 😘

  14. O importante é mesmo gostarmos de quem somos! Cada corpo é diferente e bonito! Desde que dentro de nós estejamos em paz, tudo fica bem !
    Beijinho

    1. Exatamente. Cada pessoa é única não podemos movermos-nos através dos outros. Beijinhos ❤️

  15. Adorei simplesmente o teu post Carolina! Não temos de ser todos iguais e somos especiais pelas particularidades de cada um, admiro imenso a tua força e vontade! Que exemplo, muito obrigada pela partilha <3

    Um beijinho,
    https://goasfar-asyoucan.blogspot.pt/

    1. Muito obrigada querida! ❤️❤️ Todos somos diferentes dai sermos especiais. Beijinhos 😘

  16. Sério?! Eu vi swatch dele e fiquei de boca aberta ehehe 🙂

    É. É mesmo e eu que o diga. Acho que só a partir do momento em que nos aceitamos como somos e quando começamos a gostar, verdadeira e genuinamente de nós, é que conseguimos alcançar a tranquilidade e o equilíbrio. Depois disso, será muito mais fácil gostarmos dos outros, por exemplo 🙂 Parte de nós deixarmos de lado tudo aquilo que não importa e focarmo-nos um pouco mais em nós. Afinal de contas, se não o fizermos, ninguém o fará!

    E, tu, és linda. Por dentro e por fora <3

    1. É absolutamente magnífico!! Eu ando de olho nele há uns meses ahah.

      Exato!! Fica muito mais fácil gostar dos outros e estarmos em equilíbrio quando nos amamos. Obrigada meu querido! ❤️ Beijinhos

  17. Auto-estima é fundamental! Beijinhos 🙂

    1. Pois é! Beijinhos 😘

  18. Li este texto há uns dias mas entre a maternidade, as férias e o fatídico regresso ao trabalho só hoje tive tempo de cá regressar para comentar. A luta com o corpo há de ser o karma de toda a mulher no mundo, nunca estamos satisfeitas com o que temos e a culpa disso são os ditos padrões de beleza que vemos na TV e na internet. É triste mas é verdade! Este texto quase que me deixou a lágrima no canto do olho, através das palavras consegues transparecer o sofrimento que passaste nos últimos anos mas, o importante e aquilo que deves ter sempre presente é que não é o teu corpo que te define. Um grande beijinho para ti e outro para o teu noivo, é sem dúvida um grande homem! ❤

    1. Exato! Não é o corpo que nos define. Há muito mais para além de números e peso. Há muito mais do que isso no mundo. Muito obrigada querida! ❤️ Beijinhos

  19. “Fod$-$$ o que pensam! Eu sou linda, gosto do que vejo e amo-me!“. – Fucking epic!
    You go, girl!

    1. Obrigada querida! ❤️❤️ Beijinhos 😘

  20. Sei bem o que isso é, talvez não nessas dimensões. O meu processo de não me aceitar começou quando os outros não me aceitavam. Eu quando era miúda, até os 8 anos por aí, até era magra. Quer dizer também não era magra , mas era saudável. Depois daí foi só engordar. Comecei logo a sentir-me diferente dos outros miúdos, mas não é que tenha ligado. Liguei quando mudei de escola e passei a ser o barril com pernas. Que cruéis são os miúdos. Ao princípio era só chato, mas fechei-me. Nao contei a ninguém e isso foi a pior coisa que podia ter feito. Não contar a ninguém. Nao tinha ninguém para me dizer que não era verdade, só a minha cabeça a dar mais razão àquilo que diziam de mim.
    Por um milagre qualquer, do 8 para o 9 ano( talvez tenha sido um campo de férias para onde fui onde comi muito bem, de forma saudável e fiz bastante exercício, desde dança a caminhadas tudo e mais alguma coisa) emagreci. Mas quando passei para o 10 ano o poder de escolha do que ia comer na escola fez com que voltasse aos maus hábitos. Até que sozinha cheguei a conclusão que seria melhor mudar. Pedi acompanhamento e emagreci a olhos vistos. Gostava de mim na altura. Com a faculdade e a falta de tempo para comer bem, voltou o peso que eu não queria. Mas o que aconteceu foi que eu aceitei. E é mesmo o mais difícil. Até o ano passado eu não notava grande diferença em mim. Ao olhar para as fotos é que percebi, fiquei enorme. A juntar a isto o mundo da moda não ajuda , nunca poder encontrar um par de calças deixa-me frustrada. No dia seguinte ja nem tanto, muda -se a estratégia, aprende-se a viver connosco mesmas.
    Agora olho para trás e não gosto do corpo daquela miúda de secundário, para mim estava demasiado magra. Não o era eu. Se gosto agora, meh. Ando em busca de um intermédio.

    Tudo isto para dizer QUE POST FANTÁSTICO! que história de superação!

    1. Infelizmente as crianças conseguem ser mesmo muito más. Também vai da educação. Nem todas as crianças são assim. Vais ver que vais conseguir amar-te por inteiro em breve. Pode até levar tempo, mas vais conseguir. Muito obrigada ❤️ Beijinhos 😘

  21. Que texto excelente! Parabéns por abordares este assunto que por vezes não é fácil.

    Yellow Rain

    1. Muito obrigada querida. Bejinhos 😘

  22. Miguel Curado says: Responder

    Texto excelente. Bem elucidativo.

    1. Muito obrigada. 😘

  23. Ao ler o seu relato Carolina admirei a sua força de vontade apesar de não gostar da situação que vivenciava …no entanto como sabemos a vida é feita de momento e OS mesmos passageiros…Cada situação tiramos algum proveito …
    Seja feliz. .

    1. O que importa é a lição que tirei disto tudo, fez me crescer e ver umas tantas coisas, que até à data não via. Muito obrigada ❤️

  24. O importante é aceitar quem somos e como somos. Por vezes umas pessoas fazem um caminho mais fácil, outras mais difíceis, mas no fundo tudo será retribuído <3
    Os meus parabéns pelo texto, acredito que servirá de ajuda, de inspiração.

    Beijinho <3

    1. Muito obrigada ❤️ Beijinhos

  25. Aqui está um post verdadeiramente inspirador!
    Primeiro temos de nos aceitar tal como somos, gordos ou magros, e só depois fazer uma mudança – se quisermos!
    Amor próprio é tudo e muda muito a nossa perspetiva sobre as coisas.

    Parabéns pelo post e pela atitude 🙂
    Claudia – MULHER XL – http://www.mulherxl.pt

    1. Exatamente! Acho que não vale a pena perdermos peso se não nos aceitarmos da maneira que somos. Muito obrigada. beijinhos 😘

  26. […] em conta que nos últimos tempos os comentários têm sido imensos da vossa parte no que consta a aceitação, ao ler este post tive a certeza que tinha de trazê-lo para poderem refletir (e muito) acerca […]

Deixe uma resposta